A ARMADILHA DO PACOTÃO NOS ESTUDOS PARA O ENEM

Foto por JOSHUA COLEMAN em Unsplash

Por que você deve evitar estudar para o ENEM utilizando apenas um portal de estudos

Se você é vestibulando(a), já sabe que encontrar na internet um pacote completo de estudos para o ENEM não é uma tarefa difícil. Basta uma rápida pesquisa no Google para receber a infindável oferta de sites de estudo online e cursos preparatórios que prometem te oferecer no mesmo lugar toda a preparação para o Exame. Mas será que assinar um serviço desses é a melhor maneira de conseguir a sua aprovação? Apresentamos abaixo 4 motivos pelos quais essa não é uma boa ideia.

1 – Qualidade das aulas

Pense num time de futebol. Ele pode até ter excelentes jogadores, mas nunca terá TODOS os melhores jogando juntos na sua equipe, certo? O mesmo vale para o elenco de um filme. Por mais que, em alguns casos, nós tenhamos uma reunião de grandes artistas na mesma obra, sempre haverá atores e atrizes excepcionais que não puderam ser contratados naquele momento. Os prêmios do Oscar não saem todos para o mesmo filme, não é verdade?!

Bom, quando falamos de uma seleção de professores, a lógica é parecida. É bastante improvável que um mesmo curso ou portal consiga reunir todos os melhores professores do mercado. Na verdade, o que normalmente ocorre é que os mais qualificados costumam lançar portais próprios, que lhes permitem ter um maior destaque e, consequentemente, maior remuneração.

Sendo assim, ao assinar um pacote completo, você terá ótimos professores em algumas matérias, mas em outras a qualidade será bem inferior. O resultado é que você estará, por exemplo, evoluindo muito bem em Português, mas com dificuldade em Matemática. Estará curtindo muito estudar História, mas caindo de sono e tédio com as aulas de Geografia.

Portanto, se você quer estudar com os melhores professores, com aulas dinâmicas e que te mantenham constantemente interessado(a) no conteúdo, é bom não apostar todas as fichas em um cursinho só. E aqui vai uma super dica: muitos dos melhores professores da web, como Ferretto – de Matemática – e Noslen – de Português – disponibilizam conteúdos gratuitos no YouTube. Na verdade, é possível até estudar todo o conteúdo do ENEM lá! Tem coisa melhor do que estudar com os melhores professores e de graça?!

2 – Falta de priorização

O sistema nervoso dos nematelmintos é do tipo ganglionar, formado por dois cordões longitudinais, sendo um dorsal e outro ventral.

E aí, o que achou dessa informação? Decorou? Anotou? Então pode jogar o papel fora, porque isso nunca caiu no ENEM. O problema é que, num cursinho, esse assunto provavelmente será abordado. Isso porque, em geral, eles utilizam uma grade que engloba todos os assuntos do Ensino Médio, divididos num cronograma de aulas.

Agora, será que essa é a melhor maneira de se preparar para o Exame?

Vamos pensar juntos: se você soubesse exatamente o que vai cair na prova, você estudaria tudo? Ou usaria seu tempo para se dedicar aos assuntos que vão cair? É óbvio que seria a segunda opção, né?! Bom, quando falamos de ENEM, não podemos dizer que dá pra saber tudo que será cobrado, mas certamente é fácil ter uma boa ideia. Isso porque o exame tem um histórico bem estabelecido, com assuntos campeões de cobrança e outros totalmente “esquecidos”.

Cabe dizer que, como as perguntas do Exame são tiradas de um mesmo banco de questões, podemos esperar que esse padrão se repita ao longo dos anos. Por isso, é fundamental que você conheça muito bem assuntos como Ecologia, Interpretação de Textos e Segundo Reinado. Por outro lado, esqueça a decoreba da “oração coordenada assindética”.

Logo, fica evidente que o método de simplesmente ir abordando os assuntos por ordem cronológica, como os cursinhos fazem, não é uma boa estratégia. É fundamental que a sua preparação leve em conta a probabilidade de cada assunto ser cobrado na prova, dosando corretamente a atenção que você deve dar para cada tópico, a depender de sua importância.

3 – Produtos ruins embutidos no preço

A regra do pacotão é sempre a mesma: por um preço fixo, você tem acesso às aulas e mais um monte de coisas, como exercícios, plano de estudos, monitorias, aulas ao vivo… À primeira vista, isso pode até parecer uma boa, mas, quando você começa a usar, os problemas aparecem. É o plano de estudos que é pouco flexível e difícil de seguir, ou a correção de redação que é superficial, ou a monitoria que nunca tira de fato as suas dúvidas.

Isso se explica pela Síndrome do Pato: ele nada, voa e corre, mas nada mal, corre mal e voa mal. Ao tentar fazer tudo de uma vez, acaba não se especializando em nada. Da mesma forma, um cursinho que tem como principal objetivo produzir aulas, dificilmente vai manter a mesma qualidade nos demais produtos. É tudo uma questão de foco!

Por isso, ao acreditar no pacotão você acaba pagando por um plano de estudos que não usa, uma correção de redação que não te atende, uma ferramenta de exercícios insuficiente. No final das contas, acaba comprando esses mesmos serviços “por fora”, em busca de qualidade. Portanto, a melhor opção é, desde cedo, identificar as melhores ferramentas disponíveis para cada serviço e utilizá-las em conjunto para turbinar seus estudos.

4 – Você é só mais um(a) na multidão

Não é difícil imaginar que os cursinhos, especialmente nas plataformas online, ganham dinheiro com a massa! Para custear uma grande estrutura de professores e marketing com um preço relativamente baixo, é necessário contar com milhares de assinantes simultâneos. Acontece que cada pessoa é uma pessoa, com suas experiências, dificuldades e objetivos! É só pensar na sua turma da escola ou num grupo de amigos: faz algum sentido estudarem todos do mesmo jeito? É claro que não!

Por isso, é fundamental que, na sua preparação para o ENEM, você utilize um método que se adapte as suas necessidades. Afinal, enquanto um aluno pode ter bastante tempo disponível para ajudar, outro pode estar com a rotina super apertada. Um pode ignorar o estudo da língua estrangeira, por já ser experiente, enquanto o outro vai começar “do zero”. Há ainda aqueles que têm facilidade nas disciplinas de humanas, mas uma enorme dificuldade com as exatas.

Acontece que essas particularidades não são levadas em conta dentro do pacotão. Em geral, o máximo de personalização possível é em relação a sua carga horária e área pretendida. Mas isso é pouco, muito pouco. Um bom método inclui a análise da sua bagagem de estudos, permite atacar pontos específicos nos quais você tenha dificuldades, é flexível em relação aos horários, prioriza as matérias de acordo com a sua experiência e peso na prova, enfim, considera todas as variáveis necessárias para colaborar com a sua contínua evolução.

Conclusão

Como vimos, para quem está iniciando uma caminhada em busca da sonhada vaga na universidade, pode ser uma grande tentação comprar um pacote fechado de cursinhos e confiar 100% nele. Mas, por tudo que foi falado, fica claro que essa não é uma boa estratégia. É importante que você pesquise bem o mercado e procure assinar os serviços que realmente te tragam uma vantagem competitiva, afinal, o SISU não terá vagas para todos os candidatos!

Então, tenha em mente que você precisa “sair da massa”, selecionar aulas que te permitam entender os assuntos e se manter interessado(a), priorizar assuntos mais importantes e utilizar ferramentas que realmente te retornem o que você precisa para evoluir. Essas qualidades certamente não estarão todas num mesmo pacote, que, como o pato, prometem fazer tudo, mas não atingem a perfeição em nada.

Bônus

E se você quer conhecer uma plataforma que vai te ajudar nesse processo de seleção, acesse o SANTTO Planejamento. O Santto não é um cursinho, mas uma ferramenta de inteligência artificial que seleciona os melhores materiais do mercado – gratuitos ou pagos -, monta um planejamento totalmente personalizado e flexível, incluindo os exercícios e revisões, prioriza os assuntos mais importantes e acompanha o seu desempenho comparado com os outros alunos. Trata-se de uma revolução nos estudos para o ENEM. Monte seu plano demonstrativo agora e se encante com a nova forma de estudar para o Exame: https://www.santtoplanejamento.com.br/demonstracao

Bom, pessoal. Hoje, ficamos por aqui. Uma abraço e até a próxima!

SANTTO Planejamento.

Operamos milagres. Sério.

VIDEOAULAS OU MATERIAL ESCRITO: QUAL O MEIO MAIS EFICIENTE PARA ESTUDAR PARA O ENEM?


Foto por Sebastian Mantel emUnsplash

Quem está estudando para o ENEM já sabe que a oferta de materiais no mercado é gigantesca. São diversos os cursos online que disponibilizam videoaulas e materiais escritos, resumos, listas de exercícios e etc. Mas o que é mais eficiente, assistir a videoaulas ou ler o material? Ou quem sabe os dois juntos? Para esclarecer essa dúvida, o SANTTO Planejamento identificou os pontos positivos e negativos de cada método. Vamos conhecê-los e, ao final, você verá um passo a passo de como utilizá-los. Vamos lá!

VIDEOAULAS

Método mais utilizado por aqueles que escolheram trocar os cursos presenciais pelo estudo em casa, as videoaulas online são cada vez mais populares no Brasil. Vamos entender agora suas características:

Pontos Positivos:

  • Facilidade de aprendizado: por contar com a explicação de um professor, as videoaulas normalmente são muito mais fáceis de assimilar do que um texto, especialmente quando estamos estudando temas mais complexos ou disciplinas que demandam mais raciocínio, como a Matemática. Basta imaginar a dificuldade que seria aprender Estatística apenas lendo um texto!
  • Manutenção do Interesse: em regra, os professores mais conhecidos do mercado costumam usar uma série de artifícios para prender a atenção do aluno. São dicas, macetes, exemplos do cotidiano, humor e até paródias. Com isso, estudar acaba ficando muito mais interessante, aumentando as chances de você se manter motivado na caminhada até a aprovação.
  • Diversidade de Opções: atualmente, é possível achar na internet vídeos sobre praticamente tudo, com as mais diversas abordagens, das mais diferentes fontes. Não bastassem os muitos cursos online, ainda temos a plataforma YouTube Edu, na qual é possível encontrar exatamente o que você precisa para cada momento da sua preparação, seja um vídeo completo ou apenas uma aula de resumos, um vídeo só de dicas e macetes, de resolução de exercícios, dentre outros. É só procurar que acha!

Pontos Negativos

  • Perda de foco: ainda que os professores se esforcem bastante, a videoaula em alguns momentos pode acabar ficando maçante. E aí, o que acontece? Você começa a viajar e, quando vai perceber, não aprendeu nada. Isso porque, diferente da leitura, assistir à videoaula é uma atividade quase que 100% passiva, então é necessário fazer um esforço contínuo para se manter concentrado
  • Dificuldade de consulta posterior: imagina que você precisa rever algum ponto da matéria semanas depois de assistir à videoaula correspondente. Como encontrar diretamente o ponto necessário da aula? Difícil, né? Enquanto no material escrito você já poderá ter iluminado os pontos mais importantes ou tem sempre o recurso do Ctrl+L ou Ctrl+F, nos vídeos isso se torna uma tarefa quase impossível.

TEXTOS ESCRITOS

PDFs, apostilas, livros, artigos, dentre outros. Embora as videoaulas estejam em ascensão, esses materiais mais tradicionais jamais podem ser ignorados! Então, vamos entender seus prós e contras:

Pontos Positivos

  • Facilidade de acesso: como dito acima, é muito fácil identificar pontos específicos do conteúdo a ser estudado em um material escrito, seja com o uso das ferramentas de busca ou do próprio índice. Assim, fica mais fácil ir “direto ao que interessa” ou rever pontos específicos da matéria, caso seja necessário.
  • Compatibilidade com a prova: ao sentar na cadeira para fazer sua prova do ENEM, você estará diante de textos, não de vídeos. Portanto, é fundamental treinar sua mente para a leitura, assimilação das informações e aplicação dos conceitos. Em outras palavras, não se treina para uma maratona sem correr! É preciso ler bastante antes de encarar a cansativa prova do Exame.
  • Amplitude de conteúdo: imagina colocar a resolução de 50 questões dentro de um vídeo. Não dá, né?! Vai ficar longo e cansativo. Sendo assim, embora os vídeos sejam importantes, os materiais escritos são fundamentais para ampliar sua base de conhecimento, seja para explorar melhor alguns conceitos, para fortalecer sua revisão ou para praticar com as listas de exercícios.

Pontos Negativos

  • Cansaço e falta de interesse: ao contrário dos vídeos, os textos costumam ser muito mais formais e diretos. Com isso, é natural que o estudo fique maçante, tornando mais a árdua a tarefa de avançar nos conteúdos cobrados. Além do mais, ler por si só já é uma atividade que requer esforço e, portanto, pode gerar um efeito extenuante, especialmente para quem não está muito acostumado.
  • Dificuldade de assimilação: sabe quando você lê o mesmo parágrafo 200 vezes e não entende nada?! Então, acontece com todo mundo mesmo. É que há conceitos para os quais são necessários exemplos ou abordagens específicas, que permitam um entendimento mais fácil do assuntos. Nesse ponto, os vídeos acabam sendo mais eficientes.

VEREDITO FINAL

Bom, sabendo então os prós e contras de cada modelo, fica agora a pergunta: o que fazer? Qual deles usar? Aqui no SANTTO nós acreditamos que o melhor caminho é usar uma ferramenta para sanar as deficiências da outra, a fim de maximizar a eficiência dos seus estudos.

Sendo assim, a nossa sugestão é:

  • Estude o conteúdo pelas videoaulas.
  • Tenha um material teórico de apoio.
  • Ao longo do vídeo, vá montando seu resumo, seja com anotações no próprio material ou num caderno próprio. Não cometa o erro de só dar o play na aula e não fazer mais nada!
  • Ao final do vídeo, faça uma leitura rápida do seu resumo, apenas para recapitular os pontos estudados.
  • Na hora da revisão, utilize seus resumos, deixando a aula teórica escrita como um apoio para recorrer em caso de dúvidas e/ou esquecimentos.
  • Em qualquer caso, faça exercícios usando material escrito! Você até pode assistir a vídeos de exercícios resolvidos, mas o trabalho pesado tem que ser no papel.

É isso, pessoal. Acreditamos que seguindo esse passo a passo, você vai aumentar consideravelmente a eficiência dos seus estudos para o ENEM.

Um abraço e até o próximo post.

SANTTO Planejamento

Operamos Milagres. Sério.

PRECISO ESTUDAR GRAMÁTICA PARA O ENEM?


Foto por Lonely Planet emUnsplash

O que é um pronome pessoal do caso reto? Como se conjuga o futuro do subjuntivo? “Bem-vindo” tem hífen? Descubra neste artigo se você precisar decorar tudo isso para fazer a prova do ENEM.

A gramática da língua portuguesa, com suas muitas regras e infinitas exceções, sempre arrancou os cabelos de muitos estudantes brasileiros, especialmente na hora de fazer provas de vestibulares. Não bastassem os nomes pouco intuitivos – como “pronome oblíquo átono” -, nossa língua ainda é cheia de variações, tornando o aprendizado um verdadeiro desafio. No entanto, para quem vai fazer o ENEM, não há motivo para desespero. Vamos entender o porquê:

Português no ENEM

A Língua Portuguesa é cobrada no ENEM dentro da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, que conta com 45 questões. Como temos 5 questões de Língua Estrangeira, ficamos com 40 para serem dividas entre Português, Artes, Literatura e Educação Física. No entanto, as questões costumam ser interdisciplinares, então é provável que você nem perceba essa divisão na prova.

O fato, porém, é que a gramática pura e simples NÃO costuma ser cobrada na prova de Linguagens. Portanto, você dificilmente verá uma questão pedindo algum conceito decoreba, uma regra de acentuação ou a análise sintática de uma oração. Na verdade, a prova de Português é quase 100% de Interpretação de Textos, abordando ainda assuntos como Gêneros e Tipos Textuais, Funções e Figuras de Linguagem e Variações Linguísticas. Então, já pode respirar mais aliviado(a), o monstro é muito menor do que parece.

Então, não preciso estudar gramática, certo?

ERRADO! Apesar de não ser cobrada diretamente, a gramática é a espinha dorsal da nossa língua e seu domínio fará com que você melhore seu desempenho na interpretação. Isso porque, por exemplo, conhecer corretamente o uso dos pronomes, os modos verbais, e as funções de cada classe gramatical vão te ajudar a ter uma melhor compreensão do texto, aumentando suas chances de marcar a alternativa correta.

É claro que, se seu tempo estiver muito apertado, a gramática não será uma prioridade, especialmente se comparada com assuntos muito cobrados na prova. No entanto, ela jamais pode ser desprezada em uma preparação completa para o ENEM, porque pode fazer toda a diferença na sua aprovação. Especialmente pelo que vamos comentar agora!

Não esqueça da Redação

Única prova do ENEM em que você pode conquistar mil pontos, a redação tem participação decisiva na sua nota final. E adivinha?! Para escrever bem, é preciso conhecer gramática, não tem jeito. Isso não quer dizer que você precisa decorar todas as regras e exceções da Língua, mas conhecer bem pelo menos os conceitos gerais é fundamental.

Logo, não é necessário estar com o Bechara na ponta da língua, mas é indispensável conhecer a colocação pronominal correta, as regras de regência e concordância, de pontuação e de acentuação, dentre outras. Um curso mais expedito que explore os conceitos mais importantes da nossa gramática, somados a muita leitura e treino já serão suficientes para você arrasar!

Conclusão

Fica evidente, portanto, que a gramática tem sim sua importância na prova do ENEM e deve ser estudada, mas sem aquele modelo de decoreba e aplicação direta das regras. Para facilitar seu trabalho, aqui no SANTTO Planejamento nós montamos um Plano 100% personalizado e que inclui a gramática na medida exata que você precisa. Afinal, seu tempo é sagrado pra nós. Para conhecer nossa plataforma, clique aqui.

É isso, pessoal. Até o próximo post

SANTTO Planejamento

Operamos Milagres. Sério.

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: DICAS INFALÍVEIS PARA VOCÊ ARRASAR NO ENEM 2019


Foto por João Silas em Unsplash

Uma das capacidades mais importantes dentre as exploradas no ENEM é a de interpretar e compreender corretamente os textos, sejam eles verbais ou não verbais. E se engana quem pensa que isso é importante apenas na prova de Português. Na verdade, a interpretação é cobrada em praticamente todo o Exame, incluindo a prova de Matemática!

Portanto, é fundamental que você se prepare corretamente para esse tipo de questão. Pensando nisso, o SANTTO preparou uma lista com 5 dicas para você arrebentar na prova.

Vamos a elas:

1 – Estude a teoria

Um erro que muita gente comete é o de achar que “Interpretação não é estudada”, ou seja, é só chegar na prova, ler e responder. A verdade é que, conhecendo algumas técnicas e entendendo a construção dos textos, é possível identificar suas falhas e turbinar seu desempenho. Um bom curso para você que quer se aprofundar no assunto é o do professor Wilson Rochenbach, disponível gratuitamente aqui.

2 – Leia primeiro a questão, depois o enunciado

Uma dica simples mas bastante efetiva é justamente esta: começar a leitura pela questão. O que acontece é que, em muitos casos, os textos motivadores são bastante grandes, mas o comando da questão é mais simples, focando em um ponto específico ou em uma comparação entre textos e conhecimentos.

Além disso, ao ler primeiro o enunciado e as alternativas, você já consegue fazer uma leitura mais direcionada dos textos motivadores, contribuindo para uma análise mais assertiva do tema abordado. Então, em resumo, aplicando essa técnica você ganhará velocidade e desempenho, pode acreditar!

3 – Fique atento à Intertextualidade

Em diversos casos, o ENEM traz na mesma questão dois textos motivadores. Nesses casos, é fundamental que você entenda a relação que se estabelece entre eles, a forma como um influência o outro, ou seja, a Intertextualidade. Em regra, a questão vai explorar a influência de uma escola literária sobre a outra, ou como uma linguagem dialoga com outra abordagem de um mesmo tema.

Aqui, o “pulo do gato” é saber que é muito provável que a alternativa correta da questão seja a que faça uma relação entre os textos. Portanto, você deve estar atento para não responder uma outra alternativa que, apesar de correta, aborda somente a ideia apresentada por um deles, ignorando a relação com o outro. Para saber mais sobre Intertextualidade, clique aqui.

4 – Não ignore a linguagem não verbal

Questão corriqueira no ENEM: é apresentado um texto em conjunto com uma figura, charge ou obra de arte. Qual o erro que muitos candidatos cometem? Focar somente no texto. Nesse caso, a regra é clara: não descarte a linguagem não verbal! Muito provavelmente ela estará dialogando com o texto, seja para explicá-lo, reforçá-lo ou contradizê-lo.

Sendo assim, pense sempre que a banca colocou aquela figura ali com algum objetivo. Portanto, olho na figura, ela não está ali de enfeite! Se você ignorá-la, vai acabar desperdiçando uma questão fácil de acertar.

5 – Cuidado para não restringir o objetivo do texto

É muito comum o ENEM jogar uma casca de banana que acaba derrubando bastante gente: colocar uma alternativa que, embora aparentemente certa, não aborda a questão como deveria. Vamos explicar melhor com um exemplo. Veja o texto hipotético abaixo:

“Os pássaros azuis têm bicos longos e achatados. Os verdes possuem o bico curto. Já os vermelhos apresentam bico curvo e pontiagudo.”

Agora, digamos que a questão pergunte “Qual o objetivo do texto?“, e traga, dentre as diversas alternativas, as duas abaixo:

a) Citar as caraterísticas dos bicos dos pássaros azuis.

b) Estabelecer uma comparação entre os bicos de diversos tipos de pássaros.

Veja que a letra A até parece estar correta, porque de fato ela apresenta um ponto tratado no texto. Porém, a letra B é muito mais completa e reflete, verdadeiramente, o objetivo do texto. É ela então que deve ser marcada.

Conclusão

Como vimos, investir no estudo da interpretação de texto é fundamental para incrementar sua nota no ENEM. Usando as dicas acima você certamente já vai notar uma sensível melhora no seu desempenho. Mas, para estudar um curso completo e fazer muitas questões, dentro de um planejamento 100% personalizado, clique aqui e conheça a startup mais revolucionária do setor educacional brasileiro nos últimos anos, o SANTTO Planejamento.

Então é isso, pessoal. Ficamos por aqui. Até o próximo post!

SANTTO Planejamento.

Operamos Milagres. Sério.

QUANTAS HORAS POR DIA EU PRECISO ESTUDAR PARA O ENEM?

Entenda como o planejamento do seu tempo pode fazer toda a diferença na conquista da sua vaga.


Foto por freestocks.org emUnsplash

Qualquer projeto que nos dispomos a executar em nossas vidas requer planejamento. Para casar, fazer uma viagem, comprar um bem ou abrir um negócio, é fundamental levantar previamente as necessidades, os custos, os riscos e, em especial, o cronograma para o cumprimento de cada etapa estabelecida.

Para os estudos, essa lógica não é diferente. Quando pensamos no ENEM, dada a grande amplitude do conteúdo cobrado e o alto grau de concorrência, cresce ainda mais a importância do planejamento, que se torna absolutamente decisivo para a disputa das vagas mais desejadas. Mas como exatamente você deve planejar? Bom, o ponto de partida sempre será o tempo, e é sobre ele que vamos falar neste artigo.

Em primeiro lugar, você precisa definir quando começará efetivamente a seguir um cronograma de estudos. No caso do ENEM, todos sabemos que o conteúdo é grande, então o ideal é começar o quanto antes. Tenha em mente que até o dia da prova você terá que assistir a diversas aulas, revisar constantemente e fazer muitos, muitos exercícios. Além disso, é imprescindível treinar bastante a redação, então comece o quanto antes, de preferência hoje, agora!

Outra variável importante é a carga horária disponível para estudar. As pessoas têm situações de vida bastante diferentes, então, para alguns, é possível dedicar um bom número de horas diárias. Para outros, o tempo é mais curto. Portanto, conhecer sua disponibilidade e aproveitá-la corretamente é fundamental na sua caminhada. Mesmo você que tem um tempo bacana para estudar pode acabar se enrolando, caso passe o dia olhando a timeline do Instagram ou vendo as postagens da sua tia no grupo da família.

De qualquer forma, é importante saber que nem sempre a gente pode começar a estudar com muita antecedência, né?! Ou, pode ser que você tenha um tempo bom até a prova, mas pouca disponibilidade diária. Ou, ainda, pode até ser que você esteja na turma dos desesperados, aquela que já está às vésperas do Exame e ainda tem um monte de coisa para estudar. E agora, o que fazer?

Primeiramente, saiba que nem tudo está perdido. Se você não estudou o que precisava antes, a palavra de ordem agora é PRIORIZAR! No ENEM essa missão fica um pouco mais fácil, porque a prova tem um histórico bem definido de cobrança. Por exemplo, você sabia que estudando apenas 30% dos tópicos, é possível acertar 84% da prova? Incrível, né?! É que tem alguns assuntos, como Interpretação, Estatística e Ecologia, que dominam o Exame. Logo, sabendo o que estudar, você ainda tem boas chances de conseguir sua vaga.

Portanto, podemos concluir que o tempo necessário para estudar para o ENEM depende de três variáveis: a data de início dos estudos, a carga horária diária ou semanal disponível e o mapeamento das prioridades. Conhecendo bem esses dados e aproveitando-os corretamente, suas chances de aprovação vão se multiplicar!

Pensando nisso e para facilitar essa árdua missão, o SANTTO Planejamento criou um simulador gratuito que compila justamente esses dados e te apresenta de maneira bem fácil e intuitiva. Para conhecê-lo, clique aqui.

Simulador do SANTTO

E para conhecer a plataforma do SANTTO, onde você poderá montar um Plano de Estudos 100% personalizado, com os melhores professores da web e aproveitando ao máximo sua disponibilidade de tempo, qualquer que ela seja, clique aqui.

Então é isso, pessoal! Até o próximo post.

Operamos Milagres. Sério.

SANTTO Planejamento

BOLSONARO E O ENEM 2019: A PROVA VAI MUDAR?

Saiba como o novo Governo pode influenciar na busca pela sua vaga na Universidade


Foto por Rafaela Biazi em Unsplash

Depois de um 2018 marcado por grande acirramento político, impulsionado por uma das eleições mais disputadas da história, começamos 2019 com Jair Messias Bolsonaro na Presidência da República. Militar da reserva, político de direita e com uma agenda conservadora, o novo Presidente promete alterar radicalmente o perfil do ENEM, que atualmente é pouco conteudista e costuma abordar temas mais progressistas.

Diante disso, os alunos estão se questionando: E agora, o que fazer? Devo mudar meus estudos? É o Presidente que vai escolher as questões? Preciso aprender a marchar?!

Pensando nisso, o SANTTO preparou este artigo, cuja mensagem principal é bem simples: CALMA! Mas “calma” por quê?

Bom, em primeiro lugar, temos que ter em mente que o ENEM é um modelo de aplicação de provas muito bem consolidado no Brasil. Utilizando o método TRI – Teoria de Resposta ao Item, aplicado simultaneamente em todo o Brasil e aceito pelas mais diversas universidades, o Exame é hoje a principal porta de acesso ao Ensino Superior no país. Portanto, tal solidez dificulta sobremaneira qualquer mudança rápida que o Governo queira implementar.

Além disso, é importante dizer que as questões do ENEM são extraídas de um banco, montado por professores previamente selecionados de acordo com o perfil traçado pelo INEP. Isso significa que o Governo não vai montar uma banca específica para montar questões exclusivas para o ENEM 2019. Na verdade, as questões serão extraídas do mesmo banco, mas devem passar por um filtro apenas para excluir temas mais “polêmicos”.

Isso significa que, para este ano, o perfil da prova provavelmente não vai mudar. Nossa aposta é que continuaremos tendo questões contextualizadas e utilizando bastante a interpretação de texto. O mesmo vale para o histórico de assuntos mais cobrados, como Estatística, História do Brasil e Ecologia, que devem continuar “despencando” na prova. Logo, não há motivos para modificar seus estudos, pelo menos por enquanto.

Apesar disso, é importante dizer que, para futuros Exames, é bem possível que a prova vá mudando de perfil, à medida em que o banco vá sendo alimentado com questões produzidas por professores mais alinhados à filosofia do novo Governo, tanto nos temas abordados quanto no perfil da prova. Portanto, é de se esperar que, até 2022, a prova se torne mais conteudista, mas isso não deve acontecer de maneira brusca já em 2019.

De qualquer forma, cabe ficarmos atentos aos próximos movimentos da política nacional, a fim de identificarmos rapidamente quaisquer oportunidades de incremento nos nossos estudos. Aqui no SANTTO, nossos alunos podem ficar absolutamente tranquilos, pois qualquer ajuste que for necessário será feito tempestivamente dentro dos Planos de Estudos. Se você ainda não é nosso aluno, conheça nosso método clicando aqui.

É isso, pessoal. Até o próximo post.

Estamos juntos!

SANTTO Planejamento.

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A PROVA DO ENEM

Quais são as matérias cobradas no ENEM? São quantos dias de prova? Qual o perfil de cobrança? Como é a Redação?

Neste vídeo, o professor Alexandre Salim, CEO do SANTTO Planejamento, esclarece essas e muitas outras dúvidas. Assista!